BabeliUM

HISTÓRIA

a história da nossa escola

Entre as instituições do Ensino Superior em Portugal, o Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) da Universidade do Minho (Uminho) é pioneira na introdução de cursos livres de línguas e culturas estrangeiras para a comunidade académica e para o público em geral (maiores de 16 anos).

Desde 1987, o Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) desenvolveu programas cada vez mais diversificados, abrangendo várias línguas e oferecendo aprendizagens em diversos formatos. Em 1990, iniciou-se o Curso de Verão de Português – Língua Estrangeira e, dois anos depois, o Curso Anual de Português Língua Estrangeira, que se tem consolidado, ao longo dos anos, como uma referência ao nível internacional.

A oferta forte e diversificada de formação em línguas estrangeiras – complemento importante de qualquer curso universitário – tem importância estratégica na política de internacionalização da Universidade do Minho, nomeadamente no contexto atual do Ensino Superior Europeu (Sistema de Bolonha). Perante este desafio, os Estatutos do ILCH, homologados a 17 de junho de 2009, definem, nos seus artigos 35º e 36º, um Centro de Línguas, designado por BabeliUM, como projeto de interação com a sociedade, que tem por finalidade o desenvolvimento de projetos de formação e promoção das línguas e culturas, bem como de prestação de serviços na área das línguas (tradução, interpretação, etc.). Em 22 de julho de 2009, o Conselho do ILCH aprovou o Regulamento do BabeliUM.

O BabeliUM foi fundado no dia 26 de setembro de 2009, Dia Europeu das Línguas, que é anualmente comemorado com ações de promoção do multilinguismo, motivando para a aprendizagem das línguas.

Em 2011, mediante proposta do Reitor, o Conselho Geral requereu a transformação da Universidade do Minho em fundação pública com regime de direito privado, opção consagrada no Decreto-Lei n.o 4/2016, de 13 de janeiro, que integra os Estatutos da Fundação. 

Mais tarde, em 2019, o Instituto de Letras e Ciências Humanas solicitou ao Senhor Reitor da Universidade do Minho a alteração da sua designação para Escola de Letras, Artes e Ciências Humanas, de modo a fazer refletir no seu nome as novas valências artísticas – a Música e o Teatro – recentemente integradas na sua oferta educativa. Este desiderato foi aprovado na reunião do Conselho Geral do dia 27 de janeiro de 2020. Em março de 2021, com no Diário da República, 2a Série, no 115, de 16 de junho de 2021, foi consignada a designação “Escola de Letras, Artes e Ciências Humanas”, tendo sido os presentes Estatutos igualmente alterados de modo a integrar o novo nome em todo o seu articulado.

A Escola de Letras, Artes e Ciências Humanas desenvolve projetos de ensino e de investigação nos domínios das Letras, das Artes e das Humanidades, assentes na liberdade de pensamento e numa consistente formação — nas dimensões ética, cultural, científica, artística e profissional — capaz de promover o bem-estar e a solidariedade entre as pessoas. A Escola é solidária com os demais Institutos ou Escolas da Universidade na complementação dos saberes, na abertura a uma visão interdisciplinar, na adesão a projetos de serviços à comunidade e na defesa de um ambiente que promova a realização integral da pessoa humana, a promoção de uma cultura fundada na responsabilidade e na busca permanente da excelência. Com a prossecução de programas e de ações que desenvolvam as Letras, as Artes e as Humanidades, pretende-se fortalecer de modo cada vez mais intenso, inclusivo e consolidado, tanto a cultura e a formação humanística, o pensamento crítico e as artes, quanto a valorização da língua portuguesa e do multilinguismo como condição fundamental para o aprofundamento do entendimento mútuo num mundo cada vez mais globalizado.

pt_PTPortuguese